Contos e Crónicas

O homem que flutuou até tocar o ceú

Tentava ser cada dia mais leve até conseguir tocar o céu. Ele era tão leve que desafiou a física e saiu flutuando.

Quando nasceu, sua mãe já sabia que aquele menino era especial. 

— Bruxaria! — Gritavam com todo o pulmão.

Estúpidos esses Homens limitados, sua mãe soubera que de nada de anormal seu filho tinha. Ele era afrente de seu tempo. Nasceu sem se importar com a opinião dos outros, saiu flutuando assim mesmo, livre e dono de si.

Totalmente livre!

Ser diferente muitas vezes foi visto e infelizmente ainda é por algumas pessoas considerado como algo ruim. Na verdade, qual é o padrão para ser diferente? 

Mais sei bem que esse essa forma de pensamento só existe, pois, há pessoas que sentem medo de tudo aquilo que é novo. Elas ficam assustadas, não sabem o que esperar. Estão acostumadas a pensarem que tem controle sobre tudo.

Flutuar é o ápice da novidade. Não pode ser real, essa criança está amaldiçoada. Não tem explicação, então temos de condená-lo. Isso não pode acontecer!

— Não pode ser real!

Isso remete a uma tristeza sem fim, tantas crianças que poderiam estar flutuando por aí, são colocadas dentro de rótulos, bigornas e toneladas. Permanecem escondidas em suas roupas escuras e semblantes tristonhos.

E se esse menino fosse além? Afinal ele já era bem diferente!

Ele se negou a dar ouvidos para os que pensavam coisas ruins, logo, não ouvia nenhum dos julgamentos. Nem sequer quis ouvir as pessoas dizendo que o que ele estava fazendo era errado e que nunca seria bem-visto pela sociedade.

— Bruxaria! — Gritavam com mais força dessa vez.

O menino flutuava cada vez mais e não olhara para trás, sua mãe sempre o apoiou e mostrou que poderia ser o que quisesse.

Ele foi feliz!

A vida poderia ter sido extremamente dura para aquele menino, mas bastou uma única pessoa o apoiar, não importava quantos dissessem que ele não conseguiria, ele apenas deu ouvidos a quem realmente estimava e o conhecia. 

O que poderia ser seu maior defeito, transformara na sua melhor virtude.

Hoje ele é livre, leve e solto!

Deixar uma resposta