Uma pitada de amor próprio

Por quê é sempre tão difícil apagar alguém de nossas vidas?

Vocês já passaram por isso? 

Temos certeza de que aquela pessoa não faz bem para nossa qualidade de vida, não está em sintonia com nossos planos, então por qual motivo permitimos que ela continue ali ao nosso lado? 

Como podemos permitir que algo que nos puxa para trás continue nos dando a mão e chamando de amor?

Será que somos sadomasoquista, e gostamos de ser sabotados diariamente, aliás, não somos nós que nos auto sabotamos? 

Afinal nós sabemos que essa situação não é algo sustentável, então por que sustentar essa bigorna enorme?

Acredito que ninguém melhor do que nós mesmos para saber o que é bom ou não. a vida é nossa, temos de nos cuidar e preservar nosso bem estar.

Será falta de amor próprio? Se for, tenho um recado para você:

“ -Não se deve aceitar amor minúsculo, porém se você não se amar, será muito complicado encontrar amor MAIÚSCULO.” 

Você me entende? Do You Understand?

Como podemos cobrar algo se não nos damos o mínimo necessário? 

Se ame. Apaixone-se por si próprio. Se valorize. Viaje. Deixe as horas passar. Tome um delicioso banho de banheira, que delicia… Beba um vinho. Veja o pôr do sol.  

Faça coisas que dessa forma seja capaz de lhe conectar com aqui e agora. 

Faça uma retrospectiva da sua vida, não espere a segunda. 

Comece agora, lentamente. Perceba o que é importante para você e veja se quem está ao seu lado compartilha dos seus ideais.

Não desanima não. 

Certas coisas se ajeitam com o tempo, mas é necessário que demos nossos primeiros passos. 

Eu espero que você consiga caminhar e mudar a cada dia, aos pouquinhos e criar uma nova realidade.

Gratidão!

0 comentários no “Uma pitada de amor próprioAdicione o seu →

Deixar uma resposta